Uma bunda bem aventurada

8 de maio de 2020

Calma, não fecha o blog ainda! Juro pra vocês que esse post não é baixaria, apesar de ele tratar sobre... a minha bunda. Pois é. Essa parte do corpo que geralmente a gente não liga tanto a não ser que seja pela sacanagem ou na hora de ir ao banheiro... E mesmo assim, eu consegui passar por duas aventuras no mínimo curiosas com ela, e nenhuma delas é nsfw ou nojenta, risos. Preparem-se, porque esse post dói bastante. Ou, pelo menos, em mim doeu um monte.

Acho que eu não tinha nem 8 anos quando essa primeira história aconteceu. Eu estava no shopping com meus pais, usando meu vestidinho favorito na época; ele era listradinho, azul e branco. Uma fofurinha, vocês não têm noção! Passeio vai, passeio vem, até que fomos para o segundo andar. E eu, como toda criança que só tem ideia de jerico, resolvi sentar no degrau da escada rolante. Honestamente, eu já tinha uma espécie de experiência nessa brincadeira boba: sempre que ia no shopping, fazia a mesma coisa. Sempre levantava na hora certa e ficava tudo bem. Nada com o que se preocupar. Mas acontece, meus amigos, que desta vez eu estava de vestido, lembram? Na hora que eu deveria levantar, o raio do vestido entrou na parte final da escada (aquela na qual a escada "desaparece") e eu não pude levantar, de forma que eu não só estraguei meu vestido como também ralei minha bunda inteira. Eu só lembro dos ferimentos no meu bumbum no formato de código de barras por causa do padrão da esteira da escada rolante, e da dor que eu senti quando a moça aplicou o tal do mercurocromo, um antisséptico a base de mercúrio que já foi banido no Brasil há muitos anos, pra vocês terem ideia de como eu era novinha na época.

Como se já não fosse trauma o suficiente para uma bunda só, anos depois eu fui pra praia, toda feliz e faceira. A pele já estava curada e não ficou nem cicatriz, o que indica que provavelmente minhas memórias são muito mais brutais do que o que aconteceu na realidade, risos. Enfim, eu e minha família fomos à praia e, como toda boa família, passamos protetor solar. Só que eu esqueci de passar justamente onde? Isso mesmo, na bunda! Sabe as bochechinhas do bumbum, que ficam aparecendo mesmo com o biquini? Pois bem, esqueci de passar o protetor solar nessa parte do corpo e tive a brilhante ideia de pegar sol deitada de bruços, com o sol batendo a toda força na área desprotegida do meu corpo. Resumindo: me queimei bonito. E não só isso, a queimadura foi tão tensa que partes da pele começaram a descamar antes mesmo de se recuperar por baixo da queimadura. Basicamente, eu fiquei com um pedaço da minha bunda sem pele durante alguns dias, e fazer absolutamente qualquer coisa doía, porque qualquer coisa que tocasse ali fazia parecer que eu estava sendo queimada por 1300 pontas de cigarro acesas. Doía tanto que eu chorava para colocar a calcinha!

Porém, contudo, entretanto, todavida, o corpo humano é muito maravilhoso quando ele quer ser e eu consegui me recuperar completamente dos dois incidentes. Hoje em dia, minha bunda não tem uma marquinha sequer desses dois momentos extremamente doloridos da minha infância. É uma bunda linda e saudável. ♡

Nenhum comentário:

Postar um comentário

The Orb Weaver © 2021