Dá pra fazer de novo?

13 de outubro de 2015


Eu percebi que eu nunca sei pra onde eu tô indo.

Não que eu não tenha um destino em mente, mas eu sempre mudo de ideia no meio do caminho. Tem dias em que comprar pão é um sacrifício porque não sei se vou na panificadora local ou no mercado. Embora seja menos trabalhoso chegar na panificadora, geralmente decido ir na outra direção e, quando já subi o viaduto, penso que o pão da panificadora é mais legal. Eu dou um giro de cento e oitenta graus e começo a descer na direção oposta.

Aí eu lembro que no mercado tem tal produto que eu não encontro na panificadora e resolvo que o melhor destino é mesmo o mercado. Nisso eu já desci o viaduto, e paro por um momento pra pensar onde realmente estou indo. Eu dou um giro e começo a subir o viaduto de novo. Até que eu percebo que, na verdade, não preciso do tal produto do mercado, e que seria melhor só pegar o pão na panificadora. Antes de termianar de subir, giro e começo a descer de novo.

Penso que, mesmo estando lá embaixo, estou mais perto do mercado. Ir na panificadora significaria voltar para casa e então seguir o caminho oposto em direção ao estabelecimento especializado em pães. Resolvo, novamente, que é melhor simplesmente ir ao mercado.

Subo o viaduto novamente. Na panificadora o pão é mais barato.
Mas são só alguns centavos de diferença.
Mas lá tem pessoas que me conhecem, lembram de mim e me tratam bem.
Mas eu tô feia hoje, melhor onde ninguém sabe quem eu sou.
Mas ninguém que me conhece há tanto tempo vai me julgar por um bad hair day.
Mas eu nem me importo com a minha aparência pra ir ao mercado.
Mas a panificadora
Mas o mercado
Mas

Eu nunca sei pra onde eu tô indo.

E no meio dessa indecisão eu volto pra casa e peço pra outra pessoa comprar o pão. Mas pão de forma normal, hein? Não, pera. Integral, compra o integral... Mas com esse queijo fica melhor o normal mesmo. Ah, mas dá pra pegar pão francês também. Mas não dura. Ah, pega o integral mesmo. O quê? Quantos grãos? Sete? Quatorze? Qualquer um. Não, prefiro o de 14. Ah, pega o normal mesmo, não tô a fim de pensar nisso. Não, pega o francês e acabou a discussão... A menos que o de forma esteja na promoção, aí você traz os dois. Ou não.

Quer saber? Esquece.
Não deu certo dessa vez, vamos tentar de novo amanhã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

The Orb Weaver © 2021